sexta-feira, 10 de abril de 2009

Caderno Rastafari Menelik

Dicionário Patois/inglês/português

PREFÁCIO

Saudações em Nome de Sua Majestade Imperial Haile Selassie I

Irmãos e Irmãs o grande motivo pelo qual esses textos foram compilados e organizados é a necessidade crescente de difusão da cultura Rastafari através da informação. Eu&Eu sei que muitos ao buscarem o conhecimento do ponto de vista Rastafari, acabam entrando em grande confusão por falta de referências e de estudos, muitos querem as respostas prontas e acabam apenas reproduzindo estórias que muitas vezes, não passam de calunias.

A nossa historia por mais que se remonte aos tempos mais remotos não esta nos livros das bibliotecas públicas, não esta nas prateleiras das lojas de livros, não esta em revistas, nem em jornais. Desde que o primeiro homem Rasta chegou na América, nossa historia esta constantemente sendo apagada, esquecida ou caluniada, difamada, confundida. Mais então onde esta a nossa historia? Como encontra-la? E principalmente como reconhece-la?

Eu&Eu em verdade digo! Nossa historia esta em nosso discernimento do bem sobre o mal, da verdade sobre a mentira, do sim sobre o não e o mais importante, nossa historia esta em nosso Eu e não em nosso Ego, que engana e desfaz famílias.

Hoje Irmãos e Irmãs contamos com uma ferramenta chamada internet, que possibilita a pesquisa, a comunicação virtual e uma infinidades recursos e de possibilidades de uso no entanto, sabemos que muito de seus conteúdos não nos diz respeito, por não condizer com nossa conduta e nossa postura Real. Porém Eu&Eu vem observando nos fóruns de discussões sobre a cultura Rastafari uma grande confusão nas idéias de muitos que se alto intitulam "Ras" sem conhecimento prévio de seu significado.

Sem a intenção de criticar ou muito menos de firmar qualquer tipo de julgamento, a proposta desse trabalho é utilizar publicações postadas em sites, blogs, fóruns, e etc, da internet e de nossos trabalhos, estudos e pesquisas, divulgar esses textos como forma didática de esclarecimento e auto-conhecimento da cultura Rastafari para todos e todas que demonstrem interesse neste conhecimento, nessa historia, na historia de uma tribo que por um bom tempo andou separada mais que a cada dia que passa ganha mais força e mais vida, por muito tempo nossa historia foi contada pelo ponto de vista do opressor, do senhor de escravo, do colonizador, a mente dos homens ficou tão abalada e tão confusa que ainda hoje restam muitas duvidas e muitos ainda estão perdidos em confusão, mais o Profeta Garvey anunciou e o libertador dessa prisão mental nos mostrou a luz. Mais quem tem olhos que veja, pois o Rei esta em seu santo trono. Eu&Eu Louvamos ao Deus Vivo, o Maravilhoso Conselheiro, Príncipe da Paz Alfa e Omega Rei Haile I Selassie I JAH RASTAFARI I!!!!

PATOIS

A linguagem rastafari

Os rastafaris, assim como tantos outros nichos culturais de todos os lugares do mundo, possuem uma maneira própria de se expressar, de usar a língua. O mais comum é a adoção de um vocabulário básico, constituído de gírias, que são derivações fonéticas de palavras ou neologismos, palavras criadas, cujo sentido escapa a terceiros, não pertencentes ou não familiarizados com determinado grupo (ou tribo cultural). O fenômeno da criação e utilização de gírias é parte de um processo natural de constituição de uma identidade, de um SER ALGUÉM.

No caso dos rastafaris, este recurso gerou um repertório, (vocabulário ou léxico) e uma gramática com semântica e léxico (vocabulário) tão peculiares que a fala dos rastas certamente se aproxima do status de um dialeto, uma língua secundária. A linguagem rastafari surgiu na Jamaica, ilha do Caribe que foi um importante centro da monocultura latifundiária, [primeiramente pertencente à Espanha e depois a Inglaterra, em um momento de capitalismo mercantilista que teve como principal característica a exploração do trabalho escravo predominantemente de mão-de-obra africana e a colonização e exploração agrícola monocultora em grandes plantações conhecidas como Plantation].

Por esta razão, econômica, a Jamaica foi um pólo receptor de mão-de-obra escrava, negros provenientes de diferentes regiões da África, a partir de seu descobrimento, por Cristóvão Colombo, em 1494. A Ilha passou quase dois séculos dominada por espanhóis até ser capturada definitivamente pelos ingleses. Chamado de Patois, (patoá) o dialeto rasta se estrutura sobre duas técnicas ou modos de apropriação e resignificação de termos, herança colonial da mistura entre a língua inglesa e línguas africanas. A primeira técnica é o sincretismo semântico; a segunda, fundamentada em um dogma religioso arcaico, reside em uma mística utilização do pronome pessoa de primeira pessoa do singular: "Eu" ou "I".

O sincretismo semântico rastafari promove a junção de palavras ou de fragmentos de palavras, como prefixos, radicais, produzindo uma resignificação dos termos formadores sem, contudo, extinguir completamente, o sentido anterior das palavras em seu uso original. Os novos conceitos expressam conceitos abstratos, subjetividades relacionadas às percepções, as vivências do que se utilizam deste idioma. Em muitos casos, a junção dos termos confere ao neologismo (nova palavra) um conteúdo nítido de crítica político-social e conseqüente afirmação de uma ideologia de oposição à situação a que faz referência. Neste tipo de sincretismo, as palavras não se somam simplesmente, elas se relacionam por intersecção de significados, por qualidades comuns aos objetos aos quais se referem. São exemplos deste sincretismo termos como:

downpressers = down Ç opressers

O termo reúne down=baixo e opressers=opressores, objetos que têm como atributo em comum um valor de negatividade existencial que pode ser traduzido pela compreensão de que opressores são depressivos, são down, deprimentes, baixo astral.

Em outros exemplos, a mesma lógica se impõe nos casos seguintes:

Poulitricks= políticos "dos truques", trapaceiros, corruptos.

Shity= city + shit reunião afirmativa de opinião significando que "cidade" implica "merda", má situação, ou, em resumo, cidade-de-merda; ou ainda:

SHISTEM (sistema-porcaria)

SHITUATION (situação-porcaria, encrenca).

EU: LEMBRANÇA DE DEUS

A utilização do pronome "EU'' é a segunda característica da linguagem rastafari. Este pronome é usado como prefixo e sufixo ou como parte de termos compostos. Em várias expressões substitui os pronomes você, tu e nós na comunicação interpessoal. Esta gramática estranha, que privilegia a primeira pessoa do singular, se explica como prática mística, exotérica (de domínio público). Suas raízes, entretanto, são "esotéricas" (com S e não com X), ou seja, não são de conhecimento do povo mas, antes, pertencem ao conhecimento da Tradição das Ciências Ocultas, do Hermetismo, ou seja, a razão da utilização peculiar do EU na língua rastafari somente pode ser explicada por Iniciados Ocultistas.

Em todas as religiões do mundo, o primeiro dos milhares de nomes de Deus é "EU SOU" ou ainda "EU SOU AQUELE QUE SOU" ou "EU SOU AQUILO QUE É". Esta foi a resposta de Jeová (Yahvé – Jha+Yehva) quando Moisés, no alto do Monte Sinai, perguntou ao Deus que o guiara até ali "como chamá-lo?", "como nomeá-lo perante o povo?" (BÍBLIA SAGRADA, Êxodo). Moisés é um personagem dos livros sagrados judaicos porém "EU SOU" já havia se manifestado e assim mesmo se identificado em tempos muito mais recuados, na Índia dos Vedas, escrituras que contêm um Livro da Criação. Nesta Cosmogênese hindu, o Universo objetivo nasce quando "o UM" em sua infinita solidão, tem uma primeira percepção de si mesmo (do divino self). No despertar de um Manvatara (ciclo de atividade do Universo) exclama "EU SOU!" - e ao acrescentar: "EU SOU ISTO!", projetou a partir do seu SER ABSTRATO E IMPLÍCITO TUDO, todas coisas que existem, existiram e existirão, no Universo explícito, objetivo.

EU SOU, como primeiro e único e verdadeiro nome de Deus, "PRIMEIRA PESSOA DE UM SINGULAR", é uma firmação evidente de um dos três atributos divinos: a ONIPRESENÇA (além da onisciência e da onipotência). Onipresente, de fato, significa "presente em todo lugar, em tudo". A recorrência ao pronome EU, sua repetição na linguagem rastafari, deve-se, portanto, ao sentido mais elevado que este monossílabo encerra. Em De Magistro, Santo Agostinho (mestre filósofo medieval do cristianismo católico ocidental) expõe o seguinte pensamento: se Deus de tudo sabe porque deve o homem rezar, pedir graças ou perdão se, de antemão, Deus já está a par do que se passa em nossas vidas? O sábio da Igreja conclui que rezar é um exercício mental que o homem faz; um exercício de memória e auto-condicionamento. Quando reza, em recolhimento, "na câmara secreta de seu coração", concentrado na oração, o homem lembra ou re-lembra a si mesmo seus erros e acertos; ele se corrige, se perdoa e se premia. Ao rezar o homem se conecta com presença de Deus que nele habita nele próprio, homem, posto que Deus é onipresente.

Psicólogos e ocultistas distinguem, na psique humana dois "EUs". Um, objetivo e aparente. É o EGO, personalidade condicionada por família e sociedade. O EGO é marcado pelo nome e por suas referência mnemônicas (lembranças, memória) de tempo e lugar. O OUTRO EU, é chamado EU SUPERIOR cuja existência antecede e transcende o EGO. A característica do EU SUPERIOR é a INDIVIDUALIDADE, que não se confunde com personalidade e subsiste para além de nomes e registros civis.

Os rastafaris empregam a sonoridade da palavra EU pela ressonância (força vibratória) de seu significado ancestral e mesmo a-temporal. O EU ou I está presente em composições de vocábulos e expressões idiomáticas como lembrança cotidiana e constante (1°) da supremacia de Deus – O EU SUPERIOR; (2°) da identidade entre Homem e Deus por sua conexão metafísica. A excentricidade deste modo de falar funciona como uma espécie de didática para a reeducação da percepção self – o si mesmo – como algo maior que o Ego. Quando um rastafari diz "I and I will be there" (Eu e eu estaremos lá) ao invés de I and he, ou I and you, (eu e ele, eu e você), a frase repercute no inconsciente como uma negação da Personalidade-Ego condicionado, contrapartida de afirmação do Eu-Superior-Indivíduo-Uno com o Todo, Uno com Deus. Em outro caso, o pronome é usado como prefixo indicativo de identificação entre pessoa-objeto-Deus, reconhecendo a unidade divina como essência da diversidade aparente entre as coisas. São exemplos:

I-Tal = Eu-comida, Eu-alimento, ou Eu-Vital, Eu-coisa-vitalizante

I-shence = incenso, Eu-Incenso

I-praises/I-ses = Eu-oração

I-reation=I-creation= Eu-Criação

I-wer= I-power= Eu-poder

Em todos os casos, o sentido da composição é a afirmação do EU SOU, referência ao primeiro nome de Deus, EU, revelador da VERDADE UNA oculta em Maya – a ilusão da realidade múltipla. Dizer Eu-Vital é resumir o pensamento: Eu SOU este ser e também SOU este outro ser, alimento, substância vital. Então afirma-se EU SOU ÁRVORE, EU SOU ETIÓPIA, EU SOU VOCÊ, como declaração verbal de reconhecimento da onipresença de Deus porque Deus é tudo e todos; é incenso, é alimento, á água, pedra, vento, palavra, silêncio, poder, criação, planeta e grão de areia. Deus é todo tipo de SER: pedra bruta, mineral, planta, micróbio e também humano, racional, I-Tal – Tudo no Todo é Vital.

A utilização mística do pronome EU na linguagem está ligada, portanto, às influências religiosas que orientam o movimento da coletividade ou comunidade rastafari mundial. Os rastafaris, hoje, são como uma espécie de nação sem território ou representação política oficial. A Nação Rastafari se institui pelo compartilhamento espontâneo de valores ideológicos, filosóficos e religiosos. A ideologia se posiciona como crítica aos sistemas políticos vigentes: capitalismo neo-liberal e socialismo, meros rótulos impotentes frente aos abusos dos egos governantes das maiores potências do planeta. A filosofia destaca os aspectos metafísicos da ontologia, do SER do homem e do Universo, enfatizando a realidade sutil ou subjetiva do EU-Superior através do qual se explica a Unidade na Diversidade. Como religião, rastafari, apresenta uma busca pelo cristianismo primitivo incorporando o conhecimento das mais antigas das tribos judaicas, os proscritos Essênios, apontados, historicamente, como prováveis iniciadores do Cristo Jesus.

Adaptado de Por Ligia Cabús

Exclusivo para Jahmusic-rascultura

[...] da edição.

Dicionário Rasta/Patois-Inglês-Português

============================================================================

Compilado por Mike Pawka em 12/92

Seção de frases adicionada em 28/11/95

Fontes movidas para o fim em 19/01/96

Última atualização em 17/07/03

Tradução por Leo Vidigal

para o português em 25/03/98 e atualizado em 03/03/05

A: prep. como em "go a shop," vem do espanhol (7).

A GO: aux w/v. [going to do], como em "Me a go tell him" [I'm going to tell him](7)

A DOOR: [outdoors]. Do lado de fora.(5)

ACCOMPONG: n. nome de um guerreiro Maroon, Cap. Accompong , irmão de

Cudjo; também nome de uma cidade. Vem da língua africana Twi, nome de uma divindade

suprema. (7)

ACKEE : n. Fruto de um árvore africana introduzida na Jamaica em 1778. Vem do Twi

'ankye' ou Kru akee.(7)

AGONY : o que se sente durante do ato sexual (6).

AKS : [ask] perguntar, pedir. (28)

ALIAS : adj. perigoso, violento (7).

AN : [than] palavra auxiliar usada em frases comparativas 'He's bigger than me'. (5)

ARMAGEDDON : a batalha final entre as forças do Bem e do Mal prevista na Bíblia (1).

ASHAM : n. Pipoca doce. Do twi osiam (7)

BABYLON : (Babilônia) 1. O sistema corrupto, a Igreja, o governo 2. a polícia ou um policial (1).

BAD : (literalmente, mau) bom, legal (2).

BAD BWAI : [bad boy] (literalmente, menino mau) 1. refere-se a um homem corajoso; um cumprimento 2. diz-se de alguém que cometeu um crime. Também se diz rude bwai, ruddy, baddy. (31)

BADNESS : (literalmente, maldade) comportar-se como um hooligan, violência gratuita. (1)

BAFAN : algo mal-feito, algo constrangedor (5)

BAFANG : diz-se de uma criança que não aprendeu a andar nos primeiros 5 anos (5).

BAG-O-WIRE : traidor (1).

BAGGY : roupa de baixo de mulher ou criança. (5)

BALMYARD : n. lugar onde os ritos da pocomania (semelhantes ao candomblé') eram realizados (7)

BAKRA : Feitor de escravos ou membro da elite branca nos dias coloniais. Etimologia popular: "back raw" (as costas que eram feridas pela chibata) (5).

BALD-HEAD : 1. pessoa careta; 2. pessoa que não usa dreadlocks; 3. pessoa que trabalha para Babilônia (2)

BAMBA YAY : [by and by](7)

BAMBU : seda de enrolar (1) (vem do nome de uma marca famosa de seda) (42).

BANDULU : bandido, criminoso (1)

um BANDULU BIZNESS é um roubo ou um golpe. (5)

BANGARANG : desordem, distúrbio,(5) quebra-quebra.

BANKRA : grande cesta que se coloca no lombo do burro (5).

BANS : [bands] grande quantidade. (5)

BANTON : contador de histórias (48)

BASHMENT : festa dançante (3).

BAT : Borboleta ou mariposa. O morcego é chamado de rat-bat. (5)

BATTY : bunda; anus. (5)

BATTYBWOY : alguém que é ou é considerado como gay (6).

BEAST : (besta) policial (1)

BEENIE : pequeno (36).

BEX : vex (verbo), or vexed (adjetivo). (5)

BHUTTU (BUHTUH) : pessoa cafona ou sem cultura

BIG BOUT YAH : pessoa com muito dinheiro,fama ou talento (12)

BISCUIT : mulher particularmente atrativa (47)

BISSY : noz de cola. (5)

BLACK UP : Fumar da erva. "You Black up

: today?" quer dizer 'Você fumou hoje?'(14)

BLACKHEART MAN : homem violento (38).

BLOUSE AND SKIRT : Exclamação comum surpresa. (29)

BLY : chance, "must get a bly", "must get a chance". (4)

BOASIE : adj. diz-se de quem é orgulhoso e gosta de ostentar a sua riqueza. Combinação do inglês boastful e do Yoruba bosi - orgulhoso (7)

BOASIN TONE : pênis ou testículos (13)

BOBO : o mesmo que em português - provavelmente veio do espanhol. (5) (42).

BONG BELLY PICKNEY : criança comilona. (29)

BOONOONOONOUS : Maravilhoso. (13)

BOX : beijar ou bater a face de alguém. (13)

BRAA : [BREDDA; brother] irmão. (5)

BRAATA : algo extra, nos shows é o bis. (5)

BREDREN : irmãos rastas (1)

BRINDLE : ficar zangado (6)

BRINKS : diz-se do homem que sustenta a mulher (6)

BUBU : bobo, tolo. (5)

BUCKY : 1. arma caseira (2) 2. escravo (29)

BUCKY MASSA : mestre de escravos (29)

BUD : [bird] pássaro. (14)

BUFU-BUFU : gordo, grande.(5)

BUGUYAGA : vagabundo, pessoa suja. (5)

BULL BUCKA : um touro (1)

BULLA : biscoito de farinha e açúcar comum na Jamaica. (5)

BUMBA CLOT,

(TO GET) BUN : ser traído pelo (a) companheiro (a); enganar alguém (6)

RAS CLOT,

BLOOD CLOT : exemplos de palavrões e xingamentos muito graves na Jamaica. Diga um desses para alguém e prepare-se para se defender (1).

BUCK UP : encontrar com alguém (28)

BUMBO : bunda; outro palavrão word, especialmente se

combinado com CLOT (cloth), literalmente 'pano-de-bunda', uma referência aos dias anteriores ao papel-higiênico (que não tem esse nome `a toa). (5)

BUN : queimar (29)

BWOY : [Boy] garoto, rapaz(13)

(THE) CAT : órgão sexual feminino (6)

CALLALOU : folha de espinafre. (18)

CARD : fazer alguém de bobo (6)

CEASE & SEKKLE! : pare com tudo e relaxe!! (6)

CEPES : (n.) - beard (35)

CERACE : fruto que se parece com uma uva e serve pra tudo, de chá medicinal,

a acessório para o banho (!). É famoso por ser amargo.(5)

CHA! or CHO! : interjeição de desdém (1) pshaw! (2) também indica impaciência ou desapontamento com algo ou alguém. (5)

CHAKA-CHAKA : 1. desordenadamente. (5) 2. também é uma batida do reggae, usualmente feita pela guitarra e que no samba-reggae é feita pelos tambores. (42)

CHALICE or CHILLUM or CHALEWA: espécie de cachimbo que usa a mesma técnica do narguilé, misturando a fumaça com a água, usualmente feito com um coco, muito usado pelos rastas para fumar a erva (1).

CHANT : (v.) - cantar, especialmente canções de cunho espiritual, vem do francês (35).

CHEAP : just as cheap, just as well. (5)

CHIMMY : erva. (5)

CLAP : bater, quebrar (1)

COCO : tubérculo aparentado da batata, não tem nada a ver com o nosso coco (lá chamado de coconut) ou com o cacau (coco (lá chamado de cocoa, apesar de as vezes eles próprios se confundirem, como no nome do cantor Coco Tea, que ele ja' esclareceu que significa 'Chá de Cacau'). (5)

COIL : dinheiro (6)

COME DUNG : [come down] esteja pronto, fica esperto (expressão usada para chamar a atenção dos Djs na hora de tocar ou cantar sobre uma música. (6)

COME EEN LIKE : parecer com alguém. (5)

COO 'PON : v. [Look upon!] (7)

COO YAH : v. [Look here!] (7) preste atenção! (17)

COOL RUNNINGS : expressão que significa algo como 'boa viagem' ou 'boa sorte' (31)

COOLIE : como os jamaicanos chamam os indianos, uma das colônias orientais da ilha, junto com os chineses e sírios. Atualmente é considerado pejorativo e não é 'politicamente correto' chamá-los assim. (5)

COLLIE : n. (gíria) ganja (7)

COME YAH (cumyu) : [come here] venha cá. (17)

CORK UP : cheio, engarrafado (2)

CORN : 1. maconha 2. dinheiro 3. bala de revólver (1)

COTCH : verbo (cotch up), apoiar algo, colocando uma estaca de madeira; balançar algo ou colocar algo em um lugar de forma temporária; em um ônibus lotado você pode pedir a alguém um 'cotch', um lugar; ou então algo como 'to cotch a while', estar em algum lugar temporariamente. (5)

COTTA : quando se carrega algo na cabeça, é o pedaço de pano ou alguma folha grande colocada entre a carga e a mesma, para protegê-la. (5)

CRAB : coçar. (5)

CRAVEN : ganancioso, avarento (5)

CRAVEN CHOKE PUPPY : (título de uma canção antiga dos Wailers) pessoas ambiciosas que não conseguem lidar com o poder que alcançaram.

CREATION STEPPER : quer dizer, ande pela Babilônia sem medo, viver no limite, sem medo de nada.

(29)

CRIS : [crisp]; termo popular para algo que parece novo. (5)

CRISSARS : material novo (2)

CROMANTY : adj. de Corromantee, negros originários desta tribo de Gana, dos quais se dizia serem

rebeldes (7)

CROCUS BAG : grande trouxa de pano (10)

CROSSES : problemas, falta de sorte. (5)

CRUCIAL : grande, legal, "hard,", "dread" (1)

CU : verb, [look!] veja (5)

CU DEH! : [look there!] olhe lá! (5)

CU PAN : look at. veja isso. (5)

CU YA! : look here! olha aqui!(5)

CU YU : [Look at you] olhe pra você. (14)

CUBBITCH : invejoso. (5)

CUDJO : n. nome de famoso guerreiro Maroon ; nascido numa segunda-feira

do Twi 'kudwo' (7)

CULTURE : o que reflete e divulga os valores e tradições respeitados pelos Rastas (1)

CUSS-CUSS : briga, discussão com muito xingamento

CUT YAI : [to cut your eye] 'cortar o olho' de alguém é uma expressão comum para indicar desprezo ou intimidar alguém; uma forma figurada de insultar deste modo é encarar alguém e logo depois revirar os olhos. (5). Também se pode 'cortar o olho' de alguém como forma não-ortodoxa de cumprimento. (29)

CUTCHIE : cachimbo para se fumar em grupo. (5)

CYA : 1. [to care] ligar; "donkya", não ligue, não esquenta; "no kya"

quer dizer 'no matter', como em "no kya weh im tun",

[no matter where he turns]. não importa onde ele volta.

2. [to carry] carregar. (5)

CYAAN : [can't] não poder. (5)

CYAI : [to carry] carregar. (5)

CYAN : [can] poder. (5)

D.J. : pessoa que canta ou fala durante a música, ação também chamada de "toasting" (2) (também chamado deejay, enquanto o homem que seleciona as músicas é chamado de 'selector')

DAAL : vagem usada para fazer sopa, na cozinha indiana,

vem do Hindi. (5)

DADA : pai (6)

DALLY : fazer zig-zag sobre rodas (2) ou a pé (6)

andar de moto ou bicicleta com um movimento ondulante

como nos exercícios de pilotagem com cones.

DAN : [than] (5)

DARKERS : óculos escuros (6)

DASHEEN : raiz comestível. (5)

DAWTA : [daughter], literalmente 'filha', mas que pode ser uma garota, uma "sister," a namorada etc. (1)

DEAD HOOD : (o H é mudo) = Homem que padece de impotência sexual. (14)(29)

DEADERS : carne, produtos feitos de carne (1)

DEESTANT : decente. (5)

DEGE or DEGE-DEGE : adjetivo pequeno, mirrado, 'apenas tal coisa'. (5)

DEH : [there] lá (6)

DEY : v. ser, existir, como em "No yam no dey" [no food, no existence]. Do Ewe 'de' ou do

Twi 'de' - existir (7)

DEY 'PON : [there upon] - estar engajado em alguma atividade (35)

DI : (artigo definido) [the], o ou a (6)

DINKI : tipo tradicional de dança nos funerais ou "nine nights",

hoje popular entre as crianças nas escolas. (5)

DIS or DIS YA : [this] esse ou essa (6)

DJEW : chuva com muitos relâmpagos. Como um verbo, se diz 'rain a djew'; como substantivo 'djew rain'. (5)

DOGHEART : literalmente 'coração de cachorro', quer dizer uma pessoa particularmente fria e cruel (6)

DOLLY : fazer movimentos de zig-zag sobre rodas (2)

DON : do espanhol 'dono', 'donatário', alguém respeitado, dono da situação, chefe.

DON DADA : o maior dos 'Dons' (6).

DONKYA : [don't care]; alguém que é despreocupado, sem ambição. (5)

DOONDOOS : albino. (5)

DOWNPRESSOR : opressor (1)

DOTI : [dirty] sujo (19)(29)

(TO) DRAW CARD : o ato de enganar alguém (6)

DREAD : 1. pessoa que usa dreadlocks

2. uma idéia ou uma coisa boa

3. pessoa ou situação perigosa

4. "dreadful power of the holy" 'o terrível poder do sagrado'

5. "awesome, fearful confrontation of

a people with a primordial but historically denied

racial selfhood" - 'grande e temida confrontação de um povo com uma consciência racial primordial mas historicamente negada'. (1)

DREADLOCKS : 1. cabelo que não é penteado nem cortado 2. pessoa que usa

dreadlocks (1)

DREADY : termo amigável para se chamar um amigo dread(1)

DUB : música eletrônica de raiz, criada a partir de engenhosas e criativas

intervenções do produtor e/ou do engenheiro de som em faixas já gravadas, usualmente retirando parte ou todos os vocais e adicionando ecos e efeitos sonoros, que servia como lado B dos compactos lançados na Jamaica.

DUCK-ANTS : cupins. (5)

DUKUNU : uma espécie de pamonha (cozido de milho enrolado em folha do mesmo). (5)

DUNDUS : albino. (5)

DUNGLE : n. lendário 'lixão' em West Kingston que foi recentemente aterrado. (7)

do inglês 'dunghill'

DUNS,DUNSA : dinheiro (1)

DUPPY : um fantasma, espírito (1)

DUTCHY : chá de erva, consumido pelas crianças. (5)

EASE-UP : perdoar, maneirar (6)

EVERYTING COOK

& CURRY : tudo certo, tudo sob controle (6)

FALLA FASHIN : Copycat (13)

FAS' : [fast] ser rude, impertinente, se meter nos negócios dos outros etc. (5)

FASSY : tipo de eczema; tipo de ameaça em que alguém diz ao outro que vai arranhar o rosto dele e deixa-lo 'fassy'.

FAASTI (FIESTY) : impertinente,rude (35)

FAYVA : parecer com alguém. (5)

FE (FI) : o infinitivo "to" como em "Have fe go" - 'I have to go', tenho que ir (7).

: "a fe" [Have to] (28) "fe dem" [their] - deles (28)

FEEL NO WAY : não se ofenda, não esquenta (1)

FENKY-FENKY : [finicky] orgulhoso. (5)

FENNEH : v. sentir mal estar físico, da língua fene - vomitar; 'Fante fena' - estar em apuros; 'Lumba feno' - to faint (7)

FI (FE) : possessivo. "fi me" = "mine" - meu. (7) Também pode significar

: "for" ou "to", como em "I ha' fi", I have to, eu tenho que.

: Yu num fi du dat = You are not to do that. (12)

Fe is Fi como em 'fi ar' - hers, dela

fi im - his, dele

fi dem - theirs, deles

fi you - yours, de vocês

fi me - mine, meu (29)

FIESTY (FAASTI) : imprudente, rude. (5)

FIRST LIGHT : amanhã (1)

(HIM A) FISH : diz-se de alguém que é gay (6)

FIT : quando usado para se falar de frutas ou legumes,

quer dizer que está maduro,

embora não necessariamente maduro de todo. (5)

também quer dizer 'em boa forma' - ("You haffe fit!") (31)

FORWARD : 1. ir, se deslocar para algum lugar 2. no futuro (1) 3. exclamação do público para o DJ, algo como 'vai nessa!' (42)

FRONTA : folha de tabaco usada para enrolar a erva (1)

FUCKERY : errado, injusto (6)

FULLNESS,

TO THE FULLNESS : completamente, totalmente (1)

FUNDS : dinheiro (6)

GAAN A BED : uma frase adverbial; seguindo verbos como 'gostar' e 'amar'

tem um significado superlativo;

Pode ser usado em qualquer contexto,

como em "I love hafu yam gaan to bed!" (gosto muitíssimo de comer). (5)(29)

GALANG : [go along] prosseguir. (23)

GANJA : erva, marijuana, maconha, diamba, preto etc. nome cient. 'cannabis sativa' (1)

GANSEY : camiseta (2)

(TO) GET SALT : dar azar (6)

GATES : casa, quintal (1)

GENERAL : alguém bom no que faz (1) provavelmente vem do espanhol (42)

GI : [give] dar (28)

GIG : pião . (5)

GILL : unidade de medida como "pint" (galão). (43)

GINNAL : n. golpista - "Sunday Ginnal"- pastor de igrejas suspeitas (7)

GLAMITY : ver CAT (6)

GORGON : dreadlocks chamativos (1) um dragão (29)

(DON) GORGON : quem usa dreadlocks chamativos, pessoa de respeito (2,6)

GRAVALICIOUS : ganancioso, avarento. (5)

GRINDSMAN : one who displays great prowess in bed(6)

GROUNATION : encontro ou celebração dos Rastas (1)

GROUND : casa, quintal (4)

HACKLE : incomodar, ser inconveniente, criar problemas. Se usado como substantivo: incômodo.(5)

HAFFI : [to have to...] ter que... (6)

HAIL : um cumprimento (1)

HARD : excelente, eficiente, habilidoso, sem compromissos (1) durão (29)

HARD EARS : (literalmente, orelha-dura) teimoso, que não ouve ninguém (37)

HEETCH : [itch]. Muitas palavras como essa podem ser ouvidas com um H na frente,

com esta inicial (que tem som de 'r') sendo usada para marcar a pronúncia. (5)

HEAD MAN JANCRO : n. albino e careca (7)

HERB : ver GANJA (1)

HIEZ-HAAD : [ears-hard], o mesmo que 'hard ears' (5)

HIEZ : [ears] orelhas. (5)

HIGGLERS : Sacoleiras, originalmente mulheres que iam para os exterior e compravam mercadorias para vender na Jamaica. Outros apenas vendiam o que era trazido do exterior. A conexão entre as sacoleiras e os sacoleiros e a cultura dancehall é crucial pois ela formou uma das ligações mais importantes entre a Jamaica, os Estados Unidos , e o restante do Caribe. (16)

HITEY-TITEY : pessoa da classe alta (5) alguém que finge estar em melhor posição social da que desfruta realmente (29)

HOMELY : estar relaxado, confortável, curtindo a casa. (14)

HOOD : pênis. (5)

HORTICAL (DON) : respeitado, aclamado (6)

HOT-STEPPER : (literalmente passo-quente, ou passo apressado, como se andasse sobre solo quente) fugitivo da cadeia ou da justiça (1)

I-DREN : (n.)- Rasta do sexo masculino (35)

I-MAN : eu, mim, meu (1)

I-NEY : um cumprimento (2)

I-REY : 1. cumprimento 2. excelente, legal, o melhor (1)

I-SHENCE : erva (1)

I-TAL : vital, orgânico, natural; refere-se a um modo de cozinhar e um modo de vida (1)

em cores, vermelho, verde e dourado (2)

I : substitui "me" , "you" , "my"; substitui a primeira sílaba de algumas palavras (1)

I and I, I&I= I, me, you and me, we (1)

o jeito de falar dos Rastas elimina os pronomes you, me we, they, etc., considerados

como uma forma de separar as pessoas, e os substitui pelo ' I and I', que soa 'comunitário'.

I and I abarca a união dos rastas e a unidade com o 'Most I' (ou Most High, o altíssimo, um dos nomes de Jah, ou Deus) em um círculo infindável de inity (unity) ou unidade, unicidade. (3)

IEZ-HAAD : [ears-hard], o mesmo que 'hard ears'(5)

IEZ : [ears]. (5)

ILIE : [highly], valioso, elogiado, até mesmo sagrado (7)

IGNORANT : pavio-curto, raivoso. (5)

INNA DI MORROWS : [tomorrow] amanhã (6)

INNA : prep. [In the], no ou na (4)

IRIE : 1. cumprimento 2. excelente, legal, o melhor, o maior (1)

: adj. poderoso and agradável (7)

ISES/IZES/ISIS : [praises] graças (11) Os Rastas dão graças ao todo-poderoso quando chamam pelo nome de Jah e pedem que Ele lhes dê força e que os ajude a progredir na vida. (30)

ISMS and SKISMS : termo pejorativo sobre os sistemas classificatórios da Babilônia

ITES : 1. as alturas 2. um cumprimento 3. a cor vermelha (1) grande (2)

4. outra palavra para Irie. Pode-se usar também para dizer "OK" como quando alguém lhe pede para fazer algo e você responde, "Ites." (29)

IWA : uma hora determinada (44)

JA, JAM-DOWN : Jamaica (1)

JACKASS ROPE : fumo de rolo. (5)

JAH KNOW : [Lord knows] Deus sabe (1)

JAH : Deus; provavelmente uma forma abreviada de Jahweh or

Jehovah, o Deus do Antigo Testamento (1)

Jah Ras Tafari, Haile Selassie , Rei dos Reis, Senhor dos Senhores, leão conquistador da Tribo de Judah (Jah Ras Tafari, Haile Selassie, King of Kings, Lord of

Lords, conquering Lion of Judah); os rastas reverenciam Haile Selassie I, imperador da Etiópia até ser deposto em 75, como uma personificação do Todo-Poderoso (2)

JAMDUNG : Jamaica, "Jam" [to press down] bater, amassar "dung" [down] abaixo. Irônica

referência às condições sociais e econômicas do povo. (7)

JAMMIN : se divertir, dançar. (6)

JANCRO : n. [John Crow], corvo (7)

JANGA : camarão. (5)

JELLY : coco verde, cheio de polpa mole. (5)

JON CONNU : n. [John Canoe]. Dançarinos mascarados que aparecem nas ruas perto do Natal. Lembram as danças da África Ocidental, mas a etimologia da palavra não é clara. (7)

JOOK : furar com uma agulha ou um espinho. (5) também usado em cantadas, no sentido figurativo (29)

JOOKS : relaxar (29)

JUDGIN' : Além do significado normal do verbo to judge, julgar, também pode designar as roupas ou calçados usados no dia-a-dia, como em "judgin' boot". (5)

JUU : ver DJEW. (5)

KALI; COOLY : ver GANJA (1)

KALLALOO : vegetal de folhas escuras, muito nutritivo e barato. (5)

KASS KASS : n. discussão, briga. Uma combinação do inglês curse or cuss, and do Twi `kasa kasa'-discutir verbalmente (7)

KATA : ver COTTA. (5)

KAYA : ver GANJA, KALI etc. (4)

KETCH UP : entrar em uma briga (29)

KEMPS : [skimps] um pedacinho. (5)

KIN TEET : [skin teeth] literalmente 'dente-em-pele', rir de alguém ou dar um sorriso amarelo para alguém, assim um gozador é chamado pejorativamente de "A little kin-teet bwoy." (29)

KISS ME NECK! : literalmente, beije meu pescoço, na verdade uma exclamação comum de surpresa, como 'me belisca!' (pra ver se eu não estou sonhando). (5)

KISS TEET : [kiss teeth] beijar ou sugar os dentes é uma forma comum de expressar desaprovação, desapontamento, como no nosso 'tsk-tsk'. (5)

KOUCHIE : a cabaça que faz parte do chalice, ou narguilé, usado para fumar (1)

KRENG-KRENG : tipo de suporte de ferro usado há séculos para se defumar carne. (5)

KUMINA : n. dança ritual usada para a comunicação com os espíritos dos ancestrais. combinação das palavras da língua Twi 'akom'-ser possuído e 'ana'- ancestral

LABA-LABA : falar, fofocar. (5)

LABRISH : fofoca, disse-me-disse. (5)

LAGGA HEAD : [large head] atos estúpidos de alguém que não tem bom-senso. Estúpido. (14)

LAMBSBREAD : uma variedade de marijuana de alta qualidade(1)

LARGE : respeitado (6)

LET OFF : pagar (28)

LEGGO BEAS' : [let-go beast] literalmente 'bicho-solto' alguém selvagem, fora de si. (5)

LICK : bater (13)

LICKY-LICKY : guloso, de olho grande. (5)

LIKKLE : [little] pequeno (29)

LILLY BIT : [little bit] pequeno, pedacinho. (5)

LION : um dread de respeito (1) uma boa alma (2)

LIKKLE MORE : [little more] até mais tarde (2)

(TOO) LIKKY-LIKKY : título dado a quem come tudo o que encontra, sem disfarçar (6)

MAAMA MAN : 1. gay, homem efeminado 2. homem covarde (6)

MAAS : n. [master] mestre; forma respeitosa de se dirigir a um idoso (7)

MACCA : perigoso. (29)

MACCA BACK : osso de peixe usado para se fazer sopa (29)

MADDA : [mother] mãe (6)

MAFIA : criminosos de alta hierarquia (1)

MAGA DOG : magro (4)

MAGA : [meagre] magro (2) (5)

MAMPI : gordo ou obeso (13)

MANACLES : correntes (11)

MANNERS : severo regime disciplinar. Por exemplo, quando a cidade de Kingston está sob "heavy manners", ela está sob toque de recolher ou sob estado de sítio. (10)

MARINA : camiseta. (5)

MAROON : n. comunidade de guerreiros negros da Jamaica que fugiram das fazendas dos espanhóis e resistiram à invasão britânica durante o século dezoito e começo do século dezenove. (Eles aceitaram o acordo que Zumbi rejeitou aqui: a paz em troca da não aceitação de outros fugitivos (42))

Do espanhol 'cimmaron'- destemido, selvagem (7)

MASCOT : alguém de status inferior (2)

MASH IT UP : grande sucesso (1)

MASH UP, MASH DOWN : arrasar (1) também usado no sentido de fazer sucesso, como no Brasil (42)

MASSIVE : algo de respeito (6), usado com LARGE para dar ênfase

MATEY : [mistress] senhora (12)

MEK WE : [Let Us] deixe-nos. (4) como no título do disco de B. Spear 'Mek we dweet' - deixe-nos fazê-lo (42)

MENELIK, RAS : n. imperador Etíope que comandou a resistência da nação africana à agressão italiana, que desejava uma colônia na África. Derrotou os italianos na batalha de Adowa em 1896 (7)

MONKS : [amongst] entre. (5)

MORE TIME : até mais tarde (1)

MR. MENTION : alguém famoso, originalmente alguém que já conquistou muitas mulheres

MR. T : o patrão

MUS MUS : um rato (4)

MY BABY MOTHER : a mãe do meu filho (my baby father - o pai do meu filho) (1,6)

MYAL : n. forma de magia branca oposta ao Obeah; realizada pelo myalman. da língua Hursa 'maye'- mago, pessoa de com poder místico. (7)

NAGAH : [nigger] palavra pejorativa para uma pessoa negra (7)

NAGO : n. pertencente ao povo Yoruba. Do Ewe anago -pessoa Yoruba (7)

NAH : [will not]. Como em "Me nah do that" - eu não farei isso(7)

NANA : babá, enfermeira. (5)

NANNY GOAT : "What sweet nanny goat a go ruin him belly" (o que agrada a cabra pode arruinar seu estômago) é um provérbio Jamaicano que quer dizer mais ou menos: o que lhe parece bom hoje pode te dar problemas amanhã (10)

NASH : ver CAT (6)

NATTY, NATTY DREAD,

NATTY CONGO : 1. dreadlocks 2. pessoa de dreadlocks (1)

NAZARITE : Em Hebraico quer dizer "separado", consagrado, que se afastou das pessoas por devoção (1)

NIYABINGHI : 1. 'Morte a todos os opressores, negros ou brancos'

2. Guerreiros do leste Africano que resistiram aos colonizadores europeus

3. Grande encontro dos Rastas ; concentração com fins espirituais

4. Rastas ortodoxos, tradicionais

5. Levada de tambor (1)

NIYAMEN : nome Rasta que se refere aos guerreiros Niyabinghi do leste Africano (1)

NOTCH : Don, bandidão (33)

NUFF : [enough] muito (muitos) ; demais (42)

NUH : oração interrogativa ao final da frase (comum na língua inglesa); literalmente, "Is it

not so?" - 'não é assim?' (7)

NUH TRUE? : isn't it so? - "não é assim?" (1)

NYAM : comer. (5)

(TOO) NYAMI-NYAMI : título dado a quem come tudo o que encontra, sem disfarçar(6)

NYING'I-NYING'I : reclamação, encheção. (5)

O-DOKONO : pão de maizena quente. (5)

OBEAH : tradicional "ciência" Africana, relacionada com as coisas dos espíritos, feitiços, adivinhações, com o sobrenatural (5).

OHT FI : sobre algo, tem a ver com algo, como em "it hoht fi rain", tem a ver com chuva, parece chuva. (5)

ONE LOVE : expressão que sugere unidade (1)

ONE-ONE : um por um, algo em pequenas quantidades. (5)

ONGLE : [only] somente. (5)

PAKI : cabaça. (5)

PAPAA : mamão papaya. (5)

PATTAN : [pattern] estilo, moda (39)

PATU : (ou pato, como em Pato Banton, como ele ja esclareceu em uma entrevista) coruja. (5)

PAYAKA : ganancioso (29)

PYAKA : desonesto. (10)

PEEL-HEAD : careca, mais usado para se referir a uma espécie de ave de cabeça pelada. (5)

PEENYWALLY : besouro. (5)

PEER : pera. (5)

PHENSIC : equivalente jamaicano ao Tylenol, Novalgina etc. (26)

PICKY, PICKY HEAD : corte de cabelo 'transado', dreadlocks no nascedouro. (3)

PICKY-PICKY : 1. pessoa que ostenta suas posses, vaidosa

2. cabelo não-penteado onde começam a crescer dreadlocks. (5)

PIKNY : criança. (5)

PINDA : [peanut] amendoim. (5)

PIRA : tamborete. (5)

PITY-ME-LIKL : tipo de formiga vermelha que tem uma picada bastante dolorosa. (5)

POCOMANIA, POCO : 1. seita cristã 2. levada de tambor (2)

POLYTRICKS : politics (política) + tricks (truques) -trocadilho feito por Peter Tosh (6)

POLYTRICKSTERS : politicians (políticos) + tricksters (malandros) -trocadilho feito por Peter Tosh (6)

POPPY-SHOW : [puppet show] (literalmente, teatro de marionetes) quando se diz,

'tek smadi mek poppy-show', quer dizer gozar a cara de alguém, fazer alguém de bobo. (5)

PUM-PUM : ver CAT(6)

PUNAANI or PUNNI : ver CAT (6)

PUPPALICK : cambalhota. (5)

PUSSY CLOT : xingamento referente à higiene feminina (14)

PUTTIN' AWAY : "exceto por...", ou "exceto...". (5)

PYAA-PYAA : doente, fraco; com quem não se pode contar. (5)

PYU : [spew]; chamar o Juca, vomitar. (5)

QUASHIE : mendigo, caipira, pessoa estúpida;

palavra pejorativa para uma pessoa negra; originalmente era o nome Twi para um bebê nascido em um domingo (7)

QUIPS : 1. [ squips] pedaço pequeno.

2. a arte jamaicana de se lavar roupas fazendo o som "squips-squips". (5)

RAATID! : interjeição de surpresa ou indignação, como em

"to raatid!". É mais uma atenuação do xingamento

"ras", como em "gosh" or "heck". (5)

RAM : cheio (28)

RAM GOAT : alguém que se 'enrolou' com muitas garotas (17)

RANKING : altamente respeitado (1)

RAS or RASS : 1. traseiro, bunda; um xingamento comum é 'to rass!' or 'rass clot!'

2. título usado pelos Rastas que quer dizer "lord" (senhor) or "head" (cabeça). (5)

vem do etíope 'Ras', chefe, nobre (como em Ras Tafari) (42)

(TO) RAAS : "é mesmo?", "ô cu!"(6)

RASTA, RASTAFARIAN : Seguidor de Marcus Garvey que reconhece o Todo-Poderoso na pessoa do

finado imperador da Etiópia Haile Selassie I.

O rastafarianismo é uma religião sem dogma, sem chefe, sem uma doutrina única; hoje em dia está dividida em várias seitas, que adotam práticas e preceitos diferentes; na verdade é mais um modo de vida do que uma religião fechada, como o cristianismo ou o judaísmo, dos quais, aliás, tirou muitos de seus elementos. Ela teve origem entre pastores protestantes, adotou práticas de religiões africanas e alguns segmentos ainda se miram nos ritos cristãos hiper-ortodoxos da Igreja Etíope, a que melhor preservou os rituais dos primeiros tempos do cristianismo. (42)

RAT-BAT : morcego. (5)

RATCHET : faca de mola popular na Jamaica (1)

RED : 1. alguém que está 'viajando' por causa da erva 2. mulato (1)

RED EYE : invejoso, que deseja as posses de outrem. "You too red eye", quer dizer : "você é muito invejoso. (14)

RAHTID : interjeição de surpresa ou indignação. Vem da palavra 'bíblica' "wrothed" (indignado) (7)

RENK : 1. malcheiroso.

RHYGIN : 1. adj. espirituoso, vigoroso, vivaz, alguém de grande vitalidade e força; 2. sexualmente provocante ou agressivo. Provavelmente é uma forma do inglês 'raging'. (7)

RIZZLA : rolo de papal higiênico. (3)

ROCKERS : gênero do reggae (1) o reggae como é tocado hoje (este 'hoje' deve-se referir a meados dos anos 70 (42) ) (2); por isso chama-se de 'lovers rock' o estilo romântico praticado por Gregory Isaacs, entre outros (42)

ROOTS : 1. derivado da experiência do povo, nativo

2. um cumprimento

3. nome dado a um amigo Rasta (1)

ROTI : pão indiano, achatado, que se parece com o pão árabe. (5)

ROYAL, (RIAL) : pessoa de alguma outra raça ou negra, como em "Chiney-Rial," "coolie-rial"; gozador como em "monkey-rial" (7)

RUDE BOY : criminoso, pessoa de coração frio, fodão (6)

RUN-DUNG : prato realizado com leite de coco. (5)

RUNNING BELLY : (literalmente, barriga-em-fuga) diarréia (12)

SAL'TING : 1. pratos realizados com sal grosso e carne.

2. acompanhamento da comida

3. comida que vem com arroz, batatas e um acompanhamento; como espinafre, peixe e molho (29)

4. por alguma estranha razão, denomina também o órgão sexual feminino, chamado de "sal". (5)

SALT : quebrado, com uma mão na frente e outra atrás, sem grana ou sem comida, como em "tings salt" or "i' salt". (5) Lembrando que 'salary' e o nosso 'salário' também vêm do prosaico 'sal', o sal de cozinha, que era o soldo dos soldados romanos e valia como moeda na Antigüidade. (42)

SAMBO : mestiço, de pele mais escura do que o mulato. (5)

SAMFAI MAN : malandro, bandido. (5)

SHAMPATA : n. sandália de sola de madeira ou borracha. Vem do espanhol 'zapato', sapato (7)

SANFI : Pessoa manipuladora e desonesta. Pessoa que se dirige a outra com fala macia, à procura de sexo ou dinheiro: "Dam Sanfi Bitch". (14)

SANKEY : n. canção religiosa de tom particularmente lúgubre,

cantada em versos longos. Vem do nome de Ira David

Sankey, pastor evangélico e compositor de hinos (7)

SATA : meditar, dar graças. (5)

SATTA : sentar, descansar, meditar (1) relaxar (6)

(GO) SATTA : dizer a todos que como você se orienta por valores espirituais (11)

SCIENCE : feitiçaria, magia (1)

SCIENTIST : praticante do oculto (2)

SCOUT : alguém de status inferior (6)

SCREECHIE : dedo-duro (6)

SCREW : ficar bravo (1)

SEEN : entendo, concordo com isso (1)

SEEN? : Entende? (6)

SHAG : tabaco caseiro, plantado pelo próprio dono,ou por um conhecido. (5)

SHAKE OUT : sair de fininho (2)

SHEG-UP : bagunçado, arruinado (6)

SHEPHERD : líder de culto ou igreja; proprietário do terreiro, benzedeiro e profeta (7)

SHOOB : [shove] cortado (cabelo). (5)

SIDUNG : [sit down] sente-se (6)

SIGHT? : entende? (1)

SINKL-BIBLE : planta tropical. (5)

SINSEMILLA, SENSIE : uma variedade popular, potente, sem sementes, e não-polinizada de cannabis sativa fêmea (1)

SINTING : [something] algo, alguma coisa. (5)

SIPPLE : inescrupuloso, desonesto. (5)

SISTER, SISTREN : (literalmente, irmã); mulher, amiga, mulher Rasta (1)

SITTIN' : [something] algo, alguma coisa. (5)

SKANK : dançar o reggae (1) se mover com segundas intenções (2)

SKIL : forno (5)

SKIN : papel higiênico (1)

SKIN YOUR TEETH : sorriso (1) sorriso amarelo (29)

SLABBA-SLABBA : alguém que é grande e gordo. (5)

SLACKNESS : dancehall cantado com letras vulgares por Djs populares (4)

SMADI : [somebody] alguém. (5)

SO-SO : só, sozinho, desacompanhado. (5) fraco, pálido (6)

SOFT : coisa malfeita, ou feita de modo amador; incapaz de fazer algo (1)

quebrado, sem dinheiro (2)

SOUNDBWOY : geralmente é uma forma pejorativa de se dirigir ao 'selector', que é o cara que seleciona as músicas a serem tocadas (que aqui chamamos de DJ - que lá é o cara que canta em cima de uma base instrumental), ou outras personalidades de um 'sound system' (sistemas de som que tocam nas ruas ou em bailes fechados, reunindo os 'selectors' e os Djs). Este termo é mais empregado nos 'clashes', confrontos entre dois sound systems pela preferência do público, discos de vinil feitos especialmente para os clashes, nem sempre é usado de maneira negativa manner, mas na maioria dos casos as pessoas referem-se a um membro do sound system como 'soundman', e não soundboy. (17)

SPLIFF : cigarro de maconha largo, em forma de cone (1)

SPRING : ficar maduro demais, usado para se referir a frutas(5)

STAR : termo comum entre amigos, camaradagem (1)

STEP : ir embora, sair (1) rispidamente, rapidamente (2)

STOOSH/STOSHUS : ver HITEY-TITEY. (5)

STRING UP : ensaio musical (2)

STRUCTURE : corpo, saúde (1)

SU-SU : fofoca, o som do sussurro. (5)

SUFFERER : pessoa pobre que luta para sobreviver (2)

SUPM, SINTING : [something] algo, alguma coisa. (6)

TACK : bala de revolver(2)

TACUMAH : personagem de historias Anancy. Dizem ser o filho de Anancy. Twin'ticuma (7)

TAKARI/TANKARI : abóbora cozida e temperada. (5)

TALL : extenso (1)

TALLOWAH : adj. forte destemido, fisicamente capacitado.

Do Ewe talala (7)

TAM : grande toca de crochê, usado pelos Dreads para cobrir suas tranças (1,6)

TAMBRAN SWITCH : n. espécie de pilão feito com galhos de tamarind. Usado como arma, é muito eficiente e temida. (7)

TAN' : [stand] levantar;

"tan deh!" or "yu tan deh!" quer dizer 'espere um momento!'

"Tan tedy", stand steady, quer dizer 'agüente firme!" (5)

TARRA-WARRA : forma educada de expressar palavrões omitidos, espécie de asterisco verbal . (5)

TATA : n. [father] pai. Título afetuoso e reipeitoso para um homem velho vem de várias línguas africanas,como o Ewe, Ge, N'gombe (7)

TATU : pequena cabana, usualmente feita de bambu1. (5)

TEETH : balas de revolver (2)

TEIF : [thief] ladrão, o ato de roubar (6)

THE I : (pron.) - você, de você, você mesmo (35)

THRU' : porque... (28)

TOAST : (v.) - falar ou declamar sobre uma base instrumental (35) equivalente ao rap americano (42)

TOTO : bolo de coco. (5)

TOPANORIS : rico esnobe. (10)

TRACE : xingar ou faltar ao respeito com alguém. (5)

TRANSPORT : veículo (1)

TUMPA : [stump] baixo, como em "tumpa-foot man", baixinho. (5)

TUNTI : ver CAT. (5)

UNO/UNU : [you-all] vocês todos. (5). O uso é parecido com a gíria Afro-Americana 'y'awl'. Vem da palavra da língua Ibo 'unu', que tem o mesmo sentido (7)

UPFUL : positivo, encorajador (2)

UPHILL : positivo, decente (1)

UPTOWN : as classes altas (1)

VANK : (v.) - [to vanquish] conquistar (35)

VEX : ficar bravo, ficar zangado com algo ou alguém (1)

WA DAY : [the other day] (oração adverbial) Outro dia... (5)

WA MEK? : [why?] por quê?

WHAFEDOO : [we'll have to (make) do or we'll have to deal with it] Temos que fazer algo ou temos que lidar com isso (37)

WAKL : [wattle], tipo de construção com bambu

[walls] palavras. (5)

WANGA-GUT : barriga esfomeada. (5)

WARRA-WARRA : ver TARRA-WARRA (5)

WENCHMAN : tipo de peixe, "hail brother john, have you any wenchman?" (from "Row Fisherman Row", da banda The Congos). (10)

WH'APPEN? : [what's happening?] o que está acontecendo? (4)

WHATLEF : [What's left] over (7)

WHEELS : literalmente, rodas. veículo (6)

WHOLE HEAP : grande quantidade (1)

WINE : "wine" em todos os dialetos das Índias Ociidentais (como os ingleses e americanos chamam as ilhas do Caribe de fala 'inglesa') e é litelralmente uma adaptação de "wind", vento. Na Jamaica significa dançar, às vezes de modo sedutor. (17)

WINJY : magro, de aspecto doentio. (5)

WIS : [withe] lenha. (5)

WOLF : alguém que usa dreadlocks, mas não é rasta(2)

WOOD : penis. (5)

YA NUH SEE? : [you know?] sabe? (1)

YA : [hear], ouvir ou [here], aqui. (5)

YABBA : grande pote de barro. (5)

YAGA YAGA : 1. Gíria do Dancehall. Um jeito de saudar um irmão; cumprimento, forma de atrair a atenção, como em yo! or yush!

2. amigo do peito; irmão. (9)

YAHSO : [here] aqui (6)

YAI : [eye] olho. (5)

YARD : a casa ou a porta da casa de alguém (1) casa alugada (2)

YOUTH : criança, jovem, ou homem imberbe (1)

YUSH : 'Yush talk' eh a fala dos 'bad boys'. Ou pode ser outro meio de se fazer a saudação

"YO". Em outras palavras, é como os 'rude boys' se saúdam. (27)

ZION : Etiópia, África, a terra prometida dos Rastas (1) Muitos rastas entendem que Zion pode ser uma sociedade mais justa, que não está em nenhum lugar específico e deve ser algo por que lutar (42)

ZUNGU PAN : panela de zinco. (5)

---------------------------------------------------------------------

Fontes: 1. Reggae International, Stephen Davis, Peter Simon, R&B, 1982

2. KSBR 88.5 FM, Laguna Beach, CA. Handout.

3. rec.music.reggae - canal da usenet para discussoes sobre reggae

4. Mike Pawka, Jammin Reggae Archives Maintainer

5. Understanding Jamaican Patois, L. Emilie Adams, Kingston

6. Richard Dennison/Michio Ogata

7. Glossário do filme "The Harder They Come" (Bo Peterson)

8. Norman Redington

9. revista The Beat

10. Allen Kaatz

11. Jah Bill (William Just)

12. Arlene Laing

13. Jennifer G. Graham

14. Norma Brown/Zoe Una Vella Veda

15. Richard V. Helmbrecht

16. Norman Stolzoff

17. Christopher Edmonds

18. Lisa Watson

19. Dr. Carolyn Cooper

20. Ras Adam

21. Chip Platt

22. Michael Turner, em um artigo da revista "The Beat"

23. Nicky "Dread" Taylor

24. Simrete McLean

25. The Unofficial Web Site on Jamaica

26. Paul Mowatt

27. Carlos Culture

28. Notas do CD : Jah Stitch:

"Original Ragga Muffin" (Blood & Fire), provavelmente de Steve Barrow

29. Clinton Fearon - Integrante da primeira formação dos Gladiators

30. "Itations of Jamaica and i Rastafari" - livro de fotos sobre o rastafarianismo

31. Phil "Bassy" Ajaj

32. Karlene Rogers

33. Dean Holland

34. Scottie Lake

35. Roger Steffen's Supersite - http://www.reggaesupersite.com

36. Sara Gurgen

37. Kevin Robison

38. Christopher Durning

39. Ronald E. Lam

40. Trainer Adams - Editor da revista Dub Missive .

41. Karlene Rogers

42. Leo Vidigal

43. Howard Henry 44. Messian Dread 46. Reggaeblitz.com glossary

48. The Reggae Box - Hip-O Records

Um comentário:

  1. Boa postagem, mas uma dúvida, o rastafarianismo, a essência mesmo, a origem é da África(Etiópia) ou Jamaica mesmo?

    ResponderExcluir

BOBO HILL

BOBO HILL
Sagrada Jerusalém